terça-feira, 8 de novembro de 2016

O segredo das vinhas velhas!

Muitas vezes deparamos-nos com vinhos com rótulo “vinhas velhas". Mas afinal o que são?

A idade de uma vinha depende essencialmente da região, uma vinha velha numa região vinícola antiga como o Douro não terá a mesma idade que numa região vinícola mais recente como o Alentejo. Em geral, uma vinha só pode produzir vinho a partir de 3 anos de idade. Em algumas regiões vinícolas mais antigas, as vinhas têm que esperar 6 a 8 anos para produzir vinho. A partir dos 20/25 anos, a vinha começa a produzir menos cachos mas uvas mais concentradas.

Por que razão as vinhas velhas produzem bons vinhos?

1.  A decadência da vegetação traz um equilibro entre folhas e frutos.
2. Os frutos aparecem em menor quantidade gerando bagos pequenos mas mais concentrados em aromas e sabores.

3.Sistema radicular mais amplo que permite um aprofundamento nas raízes que sobrevivem bem à falta de água e ao calor. Esse fenómeno gera uma maturação mais regular e total. Permite, igualmente, uma maior absorção das características do solo da região.

4. A produção é regular ano para ano, tornando as safras muito homogéneas. O mercado aprecia a constância da qualidade.



Mas porque estes vinhos são em geral mais caros?
Kopke Vinhas velhas
PVP: 45€
Cotação vivino: 4,4

A exploração destes vinhedos é cara, uma vez que estes exigem mais cuidados na exploração. Para além disso, geralmente estas vinhas não permitem colheitas elevadas em termos quantitativos. 

A presença de “vinhas velhas” no rótulo é garantia de qualidade?

Os vinhos produzidos por estas vinhas geralmente apresentam um grande equilíbrio e muita concentração de aromas. Estes vinhos são reconhecidos como singulares. Mas tal e qual os restantes, a forma como são produzidos vai influenciar a sua qualidade. 

Já provaram? Fica a sugestão. 

Faça gosto na nossa página de facebook! Obrigada!






3 comentários:

  1. antes de mais parabens pelo excelente artigo que aborda um tema vasto e que ainda não vi devidamente valorizado na hora de adquirir uma garrafa de vinho.
    sou produtor de uvas na região demarcada do douro na sub região do cima corgo considerada o coração do douro, a maior parte da minha produção provem de parcelas de vinha com mais de 100 anos situadas a diferentes altitudes, a maior parte das uvas é vendida para vinho do porto a ma casa exportadora as restantes são vinificadas por mim produzindo em média por ano cerca de 5000 litros ente tinto e branco que vendo a granel a 1 euro por litro escusado será dizer que esta quantia é totalmente enterrada novamente na vinha enquanto as grandes quintas mesmo ao meu lado vendem uma garrafa devidamente rotulada como proveniente de vinhas velhas a cerca de 30€ ou mais depois de provar grande parte destes vinhos cuja qualidade é realmente superior descubro que o meu vinho nada lhes fica a dever nalguns casos superior como a minha colheita de 2009 que envelhece ainda com muita elegancia na minha garrafeira.
    gostaria de ver o trabalho arduo de pequenos produtores como eu ser mais reconhecido pelo mercado dos vinhos em portugal para podermos continuar a produzir porque caso contrário perderemos irremediavelmente um grande património presente nestas vinhas velhas através das suas castas já muito raras que conferem aos vinhos por elas produzidos as particularidades por todos nos conhecidas.
    aqui no douro quase todos os dias se arranca vinha velha para reconverter em patamares para facilitar a mecanização e o plantio de castas muito mais produtivas com vista a rentabilizar a exploração mas criando cada vez mais um vinho de aviário completamente igual a todos os outros eu próprio mesmo sabendo disto estou tentado a fazer o mesmo pois não há reconhecimento por parte do mercado deste modo de produção.

    ResponderEliminar
  2. Boa noite
    Sr. João Manuel Silva tem interesse em vender uvas para vinhos de mesa? Se sim mande-me um e-mail para antoniolazabal@hotmail.com.
    Obrigado,
    António Ferreira

    ResponderEliminar